Páginas

Fogueira de Natal

 Há um tempo fui ao Rio  convidado pelo Dado pra compormos juntos um trabalho novo. Ele ainda não tinha claro sobre o que gostaria de cantar mas nas primeiras conversas ficou evidente que precisava resgatar e fechar um ciclo tbm em relação a Legião. Entre várias histórias que contou essa do Renato ~ que quando teve negado seu pedido de um violão pra animar a festa da melancólica ala dos dependentes ~ literalmente tacou fogo no prédio. O natal foi fogo...
No que me mostrou essa primeira melodia a letra saltou junto. É assim quando a sintonia é boa. Depois dessa fizemos mais 7 em 3 dias. Fora uma que era instrumental todas estão no Exit, seu disco novo.





FOGUEIRA DE NATAL 
(Dado Villa-Lobos | Nenung)

Revoada que desfia pelo ar
Toda a noite amanheceu no teu olhar
Já mudamos o destino pode crer
O impossível é flexível sempre foi

O Natal foi fogo
O fogo eu que comecei
Quem sabe o ano novo
Me devolva o que eu sonhei

Fomos tribo pela selva atrás de amor
A aventura de viver sem calcular
Nos perdemos cada um achando o seu
Trilho novo pra se achar...

O fogo eu que comecei
Quem sabe o ano novo
Me devolva o que eu sonhei

O fogo eu que comecei
Quem sabe o ano novo
Me devolva o que eu queimei

A fogueira e nós saltando ao redor
Que a tristeza vire cinza e calor
Revoada que desfia pelo ar
Toda a noite amanheceu...



Despermanências ~

das pessoas que conheço
nenhuma pode dizer que vai chegar na velhice
nem mesmo no dia seguinte
e saber disso é bem importante pra o dar valor merecido
a cada passo
a cada palavra
a cada gesto
a cada olhar compartido ~

DesCabido

Descaibo em mim
(já faz tempo)
Daí que amo compartir meus tais desCabimentos
Hoje fico é bem contente
se posso sublinhar
que daqui prafrente
só mesmo me desCabe

é o imPossível
 > link para compra/envio do "Descabimentos" aqui na aba ao lado ;)


Flores no Zumbi

Flores no Zumbi é uma zoação sobre o tipo de babaca machista e esquizofrênico que vem ganhando manchetes e filiados abobados pelo braziw adentro. Essa piada ruim que torcemos muito pra que acabe logo. Aos caretas de plantão, nosso cuspe e nossas guitarras.


 



Mire na homofobia
Mire em quem ama o ódio

Mire no canalha que ilude
Manipula a fé do povo